A Havan é uma das maiores redes de lojas de departamento do Brasil e monitorar todas as lojas é um desafio gigante. Presente em 16 estados brasileiros e com mais de 1,5 milhão de metros quadrados construídos, a empresa contava com a tecnologia analógica como única alternativa para o videomonitoramento, permitindo apenas o armazenamento local das imagens sem qualquer inteligência para identificar previamente os delitos ou a necessidade de manutenção. Em 2017, a Intelbras ajudou a Havan a inovar.

O cliente

Com mais de 30 anos de história, a Havan é uma das maiores redes de lojas de departamento do Brasil. Presente em 16 estados brasileiros e com mais de 1,5 milhão de metros quadrados construídos, a rede emprega 15 mil colaboradores diretos em mais de 120 lojas, faturando aproximadamente 7 bilhões de reais por ano.

case-havan-3

Fotos: registros Havan
 

O desafio

Há alguns anos, a tecnologia analógica era a única alternativa para o videomonitoramento, permitindo apenas o armazenamento local das imagens sem qualquer inteligência para identificar previamente os delitos ou a necessidade de manutenção. Em 2017, a gigante varejista enxergou uma nova oportunidade de aumentar a segurança ao implementar uma plataforma IP, melhorando a resolução das câmeras e trazendo inteligência para o negócio – e essa necessidade foi o ponto de entrada para a Intelbras neste projeto.

A solução

A parceria entre as duas empresas teve início ainda em 2010, quando a Havan migrou o seu sistema de telefonia para tecnologia IP, por meio da customização da central telefônica CIP 850, trazendo economias para a comunicação entre os colaboradores de toda a rede ao migrar o sistema para a nuvem. Ao todo, a Havan possui 2.500 aparelhos telefônicos IP e 20 centrais telefônicas fornecidas pela Intelbras.

Além da telefonia IP, cada loja recebe, em média, 52 câmeras, sendo mais de 2 mil instaladas até o momento e com previsão de 6 mil câmeras até o término do projeto. A atualização também já resultou na instalação de 1.800 sensores de presença, chegando a 5 mil quando instalados em todos os pontos de venda; e outros 200 controles de acesso biométricos – modelos SS411E e LE 311E – alojados em áreas restritas, como estoques e salas de segurança.

case-havan-1

Fotos: registros Havan

Além dos novos dispositivos, a fabricante brasileira apostou na parceria com a canadense Genetec para fornecer a plataforma Security Center Intelbras Edition à Havan.

Os benefícios

A solução possibilita a integração das tecnologias de videovigilância, alarmes de intrusão e controle de acesso sem complicações e oferece, em uma única plataforma de fácil utilização, as funcionalidades avançadas de todas essas tecnologias, permitindo a integração para facilitar a operação. O sistema melhora a performance dos dispositivos, com controle da operação, velocidade nas buscas das imagens e centralização do sistema de todas as lojas em um único ponto, otimizando custos.

A migração para a arquitetura IP também permitiu que a Havan diminuísse seus custos operacionais e sistematizasse sua área de prevenção de perdas. Diferentemente da arquitetura analógica, onde cada local gravava as suas imagens para recuperar posteriormente a um delito, os recursos avançados de federação do Security Center Intelbras Edition permitiram que a Havan criasse a sua Central de Monitoramento Unificada.

Embora o processamento e a gravação ainda seja feito em servidores de maneira local, a conexão federalizada permite que as câmeras sejam acessadas remotamente através da nuvem em um servidor centralizado, tendo a disposição todos os recursos do software VMS para a operação.

case-havan-2

Fotos: registros Havan

As mais de duas mil câmeras já instaladas podem ser monitoradas por apenas três ou quatro operadores por turno. Em caso de falha de comunicação, o sistema ainda continua em operação, com todos os recursos do VMS acessíveis no servidor da loja.

Além disso, o Security Center Intelbras Edition permite que a companhia identifique rapidamente e emita um alarme em caso de falha ou desligamento de um dispositivo, garantindo a identificação e o planejamento eficaz de qualquer manutenção necessária, que ficará a cargo da rede de revendas da Intelbras por todo o Brasil.

Nas docas de carga e descarga dos caminhões, em nosso depósito, tínhamos problemas com furtos. O gerente da área nem sempre tinha como estar a todo momento no local e suspeitávamos que colaboradores com acesso acabavam abrindo esse local e cometendo furtos lá. Quando implementamos um sensor de presença e uma câmera no local, conseguimos criar um evento no qual a central automaticamente recebe um alarme no caso de abertura da doca e a imagem da câmera se sobrepõe às demais, permitindo que a equipe acompanhe todos os procedimentos padrões que devem ser seguidos.

Valter Soares

Gerente de TI da Havan